LinkedIn: 7 dicas para aumentar sua empregabilidade

Que o LinkedIn é a maior rede profissional do planeta não é novidade para ninguém. Com 774 milhões de usuários no mundo, sendo mais de 50 milhões só no Brasil (quarto país mais representativo), ficar de fora não é uma opção inteligente.

Muito mais do que um currículo online, o LinkedIn permite interações entre profissionais com atividades e/ou interesses em comum, além de proporcionar visibilidade por parte de recrutadores. É totalmente viável acelerar a progressão de carreira fazendo um bom uso dessa rede social, mas é preciso se dedicar a ela e estar atento a alguns detalhes. Separamos 7 dicas.

1) Tenha um perfil campeão: preencher o máximo possível de campos no currículo é o básico. Nas descrições de atividades, coloque palavras que costumam aparecer nas vagas que você procura (desde que sejam verdadeiras, claro). Assim seu perfil aparecerá antes de outros na busca dos recrutadores, já que terá aderência maior à vaga. Se estiver em dúvida sobre o que falta preencher, basta olhar as dicas na própria página de edição.

2) Encha o resumo e o título de palavras-chaves: aproveite todos os campos para ajudar o algoritmo de busca a te encontrar! Relate sua trajetória profissional no resumo utilizando termos frequentes na sua área. E no título, não ponha apenas cargo e empresa atuais: isso já aparece quando encontram seu perfil pela busca. Deixa no título cargos e áreas que tenham a ver com o que você faz, já fez e pretende fazer no futuro. E nada de colocar “em busca de recolocação” ou nada do tipo se estiver desempregado – isso não te ajuda em nada, já que não fica clara a sua profissão.

3) Receba pelo menos 5 recomendações: a partir desse número, o algoritmo do LinkedIn passa a dar mais credibilidade ao seu perfil e ele aparecerá em muito mais resultados de busca. Peça para pessoas que já trabalharam com você e faça para elas também, mas não escreva nem aceite textos muito curtos com descrições genéricas – lembre-se que o objetivo final é causar uma boa impressão a quem for ler.

4) Interaja com suas conexões, mas fuja de polêmicas: curtir e comentar em posts aumenta bem a sua relevância dentro da rede, porém muito cuidado: todo o histórico das suas atividades (curtidas, comentários, compartilhamentos, posts e artigos) fica registrado no perfil, e qualquer pessoa que entrarem na sua página vão conseguir ver. Então pense bem antes de entrar naquela discussão acalorada sobre política ou bancar o hater em publicações.

5) Crie conteúdo com regularidade: uma vez por semana está de bom tamanho para quem não pretende vender nem se tornar Top Voice – título que os influencers com mais engajamento recebem anualmente. É melhor levar assuntos interessantes com menos frequência do que encher suas conexões com imagens de “chefe x líder” e enquetes sobre home office. Claro que sempre queremos o máximo de interações, mas a prioridade é a construção da sua marca pessoal. O que é mais importante para alguém que pretende te contratar: seus números de curtidas ou o domínio que você demonstra sobre temas relevantes?

6) Aumente o número de conexões para ampliar seu alcance: muita gente não vê sentido em adicionar pessoas desconhecidas. Esse pensamento pode até fazer sentido em outras redes sociais, mas no LinkedIn precisamos ser vistos pelo maior número possível de pessoas. E para isso, você precisa ter conexão de até 3º grau com elas. Sendo assim, as oportunidades de exposição crescem exponencialmente a cada pessoa que você adiciona. Envie convites a profissionais da mesma área e a recrutadores regularmente, mas não muitos no mesmo dia – o LinkedIn acaba bloqueando essa função até o final da semana por considerar uma ação de robôs.

7) Não ignore mensagens: fique sempre atento à sua caixa e responda tudo que chegar, principalmente contatos de headhunters ou gestores sobre vagas. Você não é obrigado a participar de processos seletivos, mas pelo menos agradecer e dizer que não tem interesse ajuda muito os recrutadores, pois o crédito para enviar InMails não é barato (quando você responde, o LinkedIn não conta como mensagem gasta). Além disso, essa é uma excelente oportunidade de fazer networking.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.