Entrevista de emprego: como se vestir?

Você já recebeu uma ligação de um(a) recrutador(a) no fim da tarde marcando uma entrevista para o dia seguinte? Se ainda não, é questão de tempo. Aí vêm todas aquelas preocupações: analisar a empresa, pensar em possíveis perguntas e ensaiar as devidas respostas etc.

Na verdade, essa é uma etapa posterior da entrevista. Ela começa de fato na impressão visual que você causa no(a) entrevistador(a) desde o momento em que chega ao local. Fazemos julgamentos em questão de segundos, mesmo de forma inconsciente. Sendo assim, o ideal é já ter tudo pronto no guarda-roupa para um momento como esse, correto? E quais seriam as melhores opções?

A primeira regra, que jamais deve ser esquecida, é: NÃO INVENTE! Você só terá uma hora (em média) para se apresentar a um(a) desconhecido(a), que já possui em mente um padrão de comportamento da parte dos candidatos. Sua vestimenta tem a função de atingir esse nível de expectativa, abrindo as portas para uma conversa favorável.

“Mas eu sou inovador, criativo, disruptivo, penso fora da caixa…”. OK, então passe essa imagem verbalmente, através das suas experiências e dos seus objetivos de carreira. Criar uma má impressão inicial ou ter alguma peça de roupa roubando a atenção da pessoa que está te ouvindo podem ser grandes empecilhos para a mensagem que você deseja passar na entrevista, concorda?

Voltando às melhores opções para atender a expectativas… Bem, isso varia de acordo com a cultura da empresa, tipo de profissão e/ou nível do cargo. O melhor ponto de partida é perguntar a conhecidos que trabalhem na empresa ou que possuam carreiras semelhantes. Algumas são mais óbvias, como advogado – uso de costume frequente –, porém outras permitem jeans e camisa polo.

Se você não tiver a quem recorrer e permanecer na dúvida, sugerimos o traje social, que tem a menor probabilidade de erro – mesmo podendo ficar mais formal que o(a) gestor(a) da vaga, melhor pecar pelo excesso. Seguem abaixo dicas para cada peça.

Camisa

Social de manga longa, de preferência 100% algodão – tecidos sintéticos, além da qualidade visivelmente inferior, esquentam mais. Em um momento naturalmente tenso, melhor evitar outros motivos para transpirar.

O caimento é importantíssimo também. A camisa não deve ficar muito justa nem larga no corpo. A linha de costura da manga deve estar na altura da extremidade do ombro, sem folgas. O botão do colarinho – e apenas ele – fica aberto, já que você não estará de gravata. A manga pode ser dobrada até uma altura mais próxima do cotovelo sem problemas. O comprimento da camisa não é um ponto crítico neste caso, porque ela ficará por dentro da calça.

Quanto ao modelo, dê preferência a cores lisas: branco, cinza, azul ou rosa. O objetivo aqui é não chamar atenção para a roupa, pois foco do seu interlocutor precisa ser você. Não é errado optar por uma camisa listrada, mas é um risco desnecessário.

Para escolher o tom da cor da camisa, faça o contraste com a calça: uma clara e outra escura. Isso traz equilíbrio ao seu visual. Sugerimos camisa clara e calça escura.

Calça

A calça social pode ser de tecidos variados, preferencialmente lisa – sem riscas de giz. Se o dress code da empresa não for muito rígido, uma calça de sarja de corte mais tradicional também serve.

A cor preta é a mais comum, e certamente uma opção segura. A única observação é que o preto está no nível máximo da formalidade. Se o seu objetivo for passar uma forte impressão de seriedade, é a escolha ideal. Caso não seja a prioridade, cinza escuro (chumbo), azul marinho e tons terrosos – como bege e cáqui – ficam super bem.

Vale frisar que o ajuste das medidas é essencial, inclusive da bainha (barra) da calça. Sanfona no tornozelo jamais.

Sapato

O tipo de sapato ideal para a ocasião é o Derby, preto ou marrom-café – ordem decrescente de formalidade.

A extremidade pode ser arredondada ou achatada. E não esqueça: seu sapato deve estar engraxado e sem poeira.

Cinto e meias: com o que devem combinar?

Muita gente se confunde aqui, mas é simples:

  • Cinto da cor do sapato;
  • Meias da cor da calça.

Cinto de couro e meia de aspecto social – não precisa ser aquela de tecido fino que gera um odor terrível, mas de algodão esportivo muito menos.

Para determinados objetivos, a meia pode ser de uma cor diferente da calça, colorida ou até mesmo invisível. Mas a não ser que a sua entrevista seja em uma agência de moda ou galeria de arte, nenhum desses objetivos será o seu. Sempre que comprar uma calça de uma cor diferente, compre logo as meias também para não acabar esquecendo.

Acessórios

Somente relógio, que por sinal agrega maturidade e sofisticação, e aliança para os casados. Pelas razões já mencionadas, adicionar informação ao seu visual com outros elementos como braceletes, colares ou piercings pode ser um tiro no pé.

Quanto aos modelos, o de aço é infalível: combina com qualquer tipo do traje. O ideal é que seja o mais minimalista possível: de ponteiro e sem muitos detalhes no visor.

Modelos com pulseira de couro são opções mais formais, porém continuam combinando perfeitamente com a roupa social. Só não esqueça: a cor da pulseira – preta ou marrom – precisa ser a mesma do sapato e do cinto!

E se a entrevista for por videoconferência?

Valem as mesmas dicas. Apesar de só aparecer a camisa na transmissão, tenha em mente que a calça ajuda a mantê-la alinhada, sem aquele aspecto fofo. E sempre existe o risco de precisar levantar por algum motivo: pegar água ou café, verificar o modem se houver problema de conexão, algum acidente doméstico com outra pessoa da casa… Passar vergonha não é nada indicado para quem deseja avançar para as próximas etapas do processo seletivo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.